Maestro

Alberto César Carreira Lages

 

Alberto César  Carreira  Lages,  nasceu  em Tangil, Monção,  onde iniciou os estudos musicais com o seu pai António Lages, maestro da filarmónica local.

Em 1988 ingressou na Banda da Região Militar Norte no Porto. Mais tarde, após a conclusão do Curso de Formação de Sargentos, foi colocado na Banda Sinfónica do Exército sediada em Queluz – Sintra.

Ingressa na Escola de Música do Conservatório Nacional em Lisboa concluindo o curso de clarinete na classe do professor Manuel Jerónimo com a mais elevada classificação. Em 1999 finaliza a licenciatura em Música na Escola Superior de Música de Lisboa na classe de clarinete do professor Manuel Jerónimo e música de câmara da professora Olga Prats.

Finalizou  em  2013  a  recente  Licenciatura  em  Direção  de  Orquestra  de Sopros  na Escola Superior Música de Lisboa sob a orientação do maestro Alberto Roque.

Estudou a nível particular Direção de Orquestra com o maestro Jean Sébastien Béreau. Frequentou Master-classes de Clarinete sob a orientação de António Saiote, Manuel Jerónimo, Guy Deplus, Guy Dangain, Walter Boikens, Karl Leister, David Campbel, de Direção de Orquestra com Jean Sébastien Béreau, Mitchell Fennell, Steve Davis, Felix Hauswirth, Mark Heron, José Rafael Pascual Vilaplana, e de Direção Coral com Vasco Piarce de Azevedo e Paulo Lourenço

Em 1998 ganhou o concurso internacional para solista B da Orquestra Gulbenkian. Fez parte da Orquestra Sinfónica Juvenil, Orquestra  Domingos Bontempo, Orquestra de Clarinetes José Canongia, Orquestra de Câmara de Cascais/Oeiras, Camerata Instrumentalis e Orquestra de Sopros de Sintra.

Na área da Música de Câmara, salienta-se a colaboração com o Ensemble Clarinete Modus, o Quinteto Flamen, solistas da Orquestra Gulbenkian, Afonso Malão, Octeto de Sopros da Banda Sinfónica do Exército, Trio Divertimenti, Aulos Consort e Sirinx Ensemble.

No  âmbito  de  um  projeto  de  pós-graduação  em  Música  de  Câmara  da  ESML, apresentou  os  trios  para  clarinete,  violino  e  piano,  “Contrastes”  de  Béla Bartók  e “História do Soldado” de Igor Stravinsky com o violinista Stephen Tran Nhoc, professor do Conservatório Nacional Superior de Lyon – França, e o pianista Afonso Malão, num recital no Museu da Música em Lisboa.

Já colaborou com as principais orquestras do país: Orquestra Gulbenkian, Orquestra Sinfónica Portuguesa, Orquestra de Câmara de Sintra, entre outras. Apresenta-se com regularidade em variadas combinações camerísticas.

Apresentou-se a solo com a Banda Sinfónica do Exército e com a Orquestra de Câmara de Cascais e Oeiras.

Dirigiu a Orquestra de Sopros da Escola Superior de Música de Lisboa Orquestra de Sopros do Conservatório Nacional, Orquestra de Sopros do Conservatório D.Dinis, a Camerata de Sopros Silva Dionísio e Ensemble de Clarinetes do Conservatório D.Dinis. Tocou sob a direção de conceituados maestros como Jean Sébastien Béreau, Michael Zilm, Frans Brüggen, Günther Herbig, Stanislaw Skrowaczewski, Muhai Tang, Michel Corboz, Claudio Scimone, Marko Letonja, José Ramón Encinar, Zoltán Peskó, Wayne Marshall, Mitchell Fennell, Martyn Brabbins, Jeffrey Tate, Alberto Roque, José Ferreira Brito e Reinaldo Guerreiro.

Participou em gravações para RTP, RDP – antena 2 onde se destaca a gravação da obra “Coros e Danças Medievais” do compositor português Cândido Lima com a Orquestra de Sopros da Escola Superior de Música de Lisboa sob a sua direção e para Hyperion Records integrado na Orquestra Gulbenkian aquando da gravação de obras para piano de José Vianna da Motta pelo pianista Artur Pizarro e a direção do maestro Martyn Brabbins.

Atualmente é 1º Clarinete Solo, Chefe de Naipe na Banda Sinfónica do Exército e ainda  professor  de Clarinete  e Análise  no âmbito  dos vários  cursos  aí ministrados inerentes a progressão na carreira de músicos do Exército Português.

É  professor   de  clarinete   no  Conservatório   de  Música   D.  Dinis,   em   Odivelas. Ultimamente tem sido convidado para dirigir e orientar Master Classes de Clarinete. Dirige a banda da Sociedade Filarmónica Alcanedense  – Alcanede, Santarém onde desempenha também as funções de diretor pedagógico da Academia de Música.